Detalhes

Bíblia, Escola Sabatina
2 anos atrás

Motivação
Mais profunda que a necessidade de comida, ar ou água é nossa necessidade de sentido, de saber que nossas vidas valem para alguma coisa. Essa era a procura de Saulo, mas para ele essa necessidade acabou sendo distorcida pelo ego. Mas quando descobrimos o chamado de Deus, somos como os Porsches que são feitos para correr.

Foco: Reconhecer que não há lugar mais seguro e gratificante para estar do que dentro dos limites da vontade de Deus. Ao ouvir o chamado divino, Paulo respondeu de maneira devotada, e, desde então, o mundo nunca mais foi o mesmo.
Compreensão:
I.  O chamado do apóstolo Paulo
Pergunta 1 – Que caraterísticas possuía Saulo que serviriam nos propósitos de Deus?
1.    Cidadão romano (Atos 22:25-28);
2.    Paulo era fariseu (Filipenses 3:5);
3.    Fabricante de tendas (Atos 18:3).
Outras caraterísticas:
1.    Zeloso (Filipenses 3:6-8);
2.    Humilde: considerava-se o pior dos pecadores e indigno de ser chamado apóstolo (1 Coríntios 15:9,10).
Antes de conhecer a Deus:
1.Estava fora do caminho;
2.Vivia na escuridão;
3. Não reconhecia a voz de Deus;
4. Não sabia o que fazer;
5. Desprezado, desprestigiado e sem utilidade.

Pergunta 2 – Que reconhecimento é importante para efetuar com sucesso a obra de Deus?
Paulo escreveu aos Coríntios: “Pela graça de Deus, sou o que sou” (1Coríntios 15:10).

II. A paixão do apóstolo Paulo
Pergunta 3 – Que elementos da missão foram enfáticos na missão de Paulo?
1.    Plantar igrejas em todas as regiões do mundo conhecido (Romanos 15:19);
2.    Conservação das igrejas (Colossenses 1:28).

Pergunta 4 – Qual era a questão que ameaçou a unidade da igreja, e qual foi a posição de Paulo em contraste com Pedro?

A posição de Paulo foi de que os conversos gentios não teriam que se tornar judeus para ser cristãos.

Aplicação:
Até que ponto podemos usar o método da contextualização para comunicar o evangelho?
1 Coríntios 9:22,23: “Tornei-me tudo para com todos, para que de alguma forma salvar alguns”.
Sempre que os princípios forem mantidos, podem-se criar pontes para nos aproximar da cultura sem quebrar os princípios fundamentais da Palavra de Deus.

Criatividade:
Ellen G. White escreveu: “Novas igrejas devem ser estabelecidas e novas congregações organizadas” (Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 24). Desde os nossos primeiros tempos, o plantio de igrejas tem sido visto, não como uma opção extra, mas como o modo aceitável de cumprir nossa tarefa como igreja.